sexta-feira, 15 de março de 2013

SÃO PAULO VAI ENCAMINHAR 40 MIL MULHERES PARA EXAMES NA REDE PRIVADA



Na tentativa de otimizar a fila de espera por mamografia e ultrassom, pacientes receberão ligação para confirmação de presença e, caso desmarquem, sistema informatizado fará encaixe de outras
São Paulo – Na tentativa de reduzir a fila de espera por mamografia e ultrassom de mamas e transvaginal, formada hoje por 90 mil mulheres, a prefeitura de São Paulo vai encaminhar 40 mil pacientes para laboratórios de imagens desvinculados do Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o custo estimado será de R$ 2 milhões e a expectativa é que todas sejam atendidas em até três meses.
Operador do callcenter da Rede Hora Certa explica procedimento para confirmar exames ao prefeito Haddad
(Foto: Cesa Ogata/Secom)
Outra medida será otimizar a organização da fila de espera para os três exames. Para isso, as pacientes receberão uma ligação do call center da Rede Hora Certa duas semanas antes do dia marcado para realização do procedimento, para confirmar se irão comparecer ou não. Caso a paciente confirme presença, ela receberá um SMS dois dias antes lembrando o local e o horário. Se não puder comparecer, o sistema automaticamente remanejará outra pessoa para realizar o procedimento.
A estimativa da Secretaria de Saúde é que a cada 15 dias novos exames sejam incorporados no esquema. Hoje, de 10 pessoas que marcam exames na rede municipal de atendimento médico, três não comparecem, segundo o órgão, que em fevereiro começou a fazer ligações para os pacientes. Atualmente são 160 operadores, com uma média 12.500 ligações por dia. “Se nós reduzirmos a 10% o absenteísmo, começaremos a eliminar a causa da fila, aí não vamos mais ter 800 mil pessoas sem agendamento, como em janeiro”, afirmou o prefeito Fernando Haddad, durante visita ao call center da Rede Hora Certa, na Mooca, zona leste da cidade, na manhã de hoje (15).
“São duas ações simultâneas: estamos contratando serviços extraordinários, já na perspectiva da construção da Rede Hora Certa, e organizando a fila pelo outro lado. Só a gestão da fila já melhoraria, mas se eu não tivesse esse serviço sendo contratado, não teríamos como dar conta. Essas duas ações vão permitir chegar a daqui um ano com uma fila bem menor”, disse Haddad. “Nós estamos desenvolvendo um projeto que vai se estender a todos os serviços do SUS no que diz respeito a consultas e exames. Nós vamos oferecer todas as condições tecnológicas para que o usuário possa melhorar o seu próprio atendimento.”
O programa Rede Hora Certa prevê a construção, nas 31 subprefeituras, de unidades de saúde para a realização de exames de média e alta complexidade e de cirurgias não urgentes. O Ministério da Saúde vai repassar R$ 120 milhões para a iniciativa.

Publicado em 15/03/2013, 14:50
Última atualização às 17:43

Um comentário:

  1. Ola! Muito interessante seu espaço.... gostei!
    Compartilhando aqui...
    Parabéns camiseta

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.