domingo, 15 de janeiro de 2017

17 DOCUMENTÁRIOS PARA DEBATER HOMOFOBIA, LESBOFOBIA E TRANSFOBIA




Indicações de documentários para promover debates que nos levem a romper velhos paradigmas e superar preconceitos!

1) Vestidas de noiva

2) Leve-me pra sair

3) Protagonismo Trans

4) The Pearl of Africa

5) (Trans)parência

6) Entre lugares: a invisibilidade do homem trans

7) Negras lésbicas

8) A vida que não cabe

9) Uma dama de ferro

10) Os tabus sociais na percepção de gêneros e papéis sexuais

11) Bichas, o documentário

12) Em defesa da família

13) O riso dos outros

14) Não Fique Calado Diante da Homofobia

15) Be Like Others: Transsexual in Iran

16) "T"

17) A Jihad for Love -Jihad do Amor: homossexualidade e islamismo

6 DOCUMENTÁRIOS PARA COMPREENDER O SISTEMA PENITENCIÁRIO NO BRASIL



Indicações de documentários para promover debates que nos levem a romper velhos paradigmas e superar preconceitos!

2) Justiça
3) Juízo (sobre adolescentes em conflito com a lei)

4) O prisioneiro da grade de ferro

5) Sem pena

6) Quanto mais presos, maior o lucro

4 DOCUMENTÁRIOS PARA COMPREENDER O SISTEMA PENITENCIÁRIO FEMININO NO BRASIL



Indicações de documentários para promover debates que nos levem a romper velhos paradigmas e superar preconceitos! 


2) As mulheres e o cárcere
https://www.youtube.com/watch?v=cTSgBhSU-dI



4) Se eu não tivesse amor
https://www.youtube.com/watch?v=TF8S5oGkL-c


quarta-feira, 4 de maio de 2016

GRAVES AMEAÇAS AOS NOSSOS DIREITOS!


RELAÇÃO DAS 55 AMEAÇAS À DIREITOS TRAMITANDO NO PARLAMENTO
1. Regulamentação da terceirização sem limite permitindo a precarização das relações de trabalho (PL 4302/1998 – Câmara, PLC 30/2015 - Senado, PLS 87/2010 – Senado);
2. Redução da idade para início da atividade laboral de 16 para 14 anos (PEC 18/2011 – Câmara);
3. Instituição do Acordo extrajudicial de trabalho permitindo a negociação direta entre empregado e empregador (PL 427/2015 – Câmara);
4. Impedimento do empregado demitido de reclamar na Justiça do Trabalho (PL 948/2011 – Câmara e PL 7549/2014 - Câmara);
5. Suspensão de contrato de trabalho (PL 1875/2015 – Câmara);
6. Prevalência do negociado sobre o legislado (PL 4193/2012 - Câmara);
7. Prevalência das Convenções Coletivas do Trabalho sobre as Instruções Normativas do Ministério do Trabalho e Emprego - MTE (PL 7341/2014 - Câmara);
8. Livre estimulação das relações trabalhistas entre trabalhador e empregador sem a participação do sindicato (PL 8294/2014 - Câmara);
9. Regulamentação do trabalho intermitente por dia ou hora (PL 3785/2012 - Câmara);
10. Estabelecimento do Código de Trabalho (PL 1463/2011 - Câmara);
11. Redução da jornada com redução de salários (PL 5019/2009 - Câmara);
12. Vedação da ultratividade das convenções ou acordos coletivos (PL 6411/2013 – Câmara);
13. Criação de consórcio de empregadores urbanos para contratação de trabalhadores (PL 6906/2013 - Câmara);
14. Regulamentação da EC 81/2014, do trabalho escravo, com supressão da jornada exaustiva e trabalho degradante das penalidades previstas no Código Penal (PL 3842/2012 – Câmara, PL 5016/2005 – Câmara e PLS 432/2013 - Senado);
15. Estabelecimento do Simples Trabalhista criando outra categoria de trabalhador com menos direitos (PL 450/2015 – Câmara);
16. Extinção da multa de 10% por demissão sem justa causa (PLP 51/2007 – Câmara e PLS 550/2015 - Senado);
17. Susta a Norma Regulamenta (NR) 12 sobre Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos (PDC 1408/2013 – Câmara e PDS 43/2015 - Senado);
18. Execução trabalhista e aplicação do princípio da desconsideração da personalidade jurídica (PL 5140/2005 - Câmara);
19. Deslocamento do empregado até o local de trabalho e o seu retorno não integra a jornada de trabalho (PL 2409/2011 – Câmara);
20. Susta Norma Regulamentadora 15, do Ministério do Trabalho Emprego, que regula as atividades de trabalhadores sob céu aberto (PDC 1358/2013 – Câmara);
21. Susta as Instruções Normativas 114/2014 e 18/2014, do Ministério do Trabalho, que disciplinam a fiscalização do trabalho temporário (PDC 1615/2014 – Câmara);
22. Estabelecimento da jornada flexível de trabalho (PL 2820/2015 – Câmara e PL 726/2015 - Câmara);
23. Estabelecimento do trabalho de curta duração (PL 3342/2015 - Câmara);
24. Transferência da competência para julgar acidente de trabalho nas autarquias e empresas públicas para a Justiça Federal (PEC 127/2015 - Senado);
25. Aplicação do Processo do Trabalho, de forma subsidiária, as regras do Código de Processo Civil (PL 3871/2015 – Câmara);
26. Reforma da execução trabalhista (PL 3146/2015 - Câmara).
27. Substitutivo apresentado na CAPADR estabelece a inexigibilidade do cumprimento simulta?neo dos requisitos de “utilizac?a?o da terra” e de “eficie?ncia na explorac?a?o” para comprovac?a?o da produtividade da propriedade rural (PL 5288/2009 – Câmara);
28. Alteração da Lei 5.889/1973, que estatui normas reguladoras do trabalho rural, e a Lei 10.101/2000, que dispo?e sobre a participac?a?o dos trabalhadores no lucro ou resultados da empresa, visando a sua adequac?a?o e modernizac?a?o (PLS 208/2012 – Senado);
29. Alteração da Lei no 1.079/1950, para definir como crime de responsabilidade de governador de Estado a recusa ao cumprimento de decisa?o judicial de reintegrac?a?o de posse (PLS 251/2010 - Senado);
30. Alteração da Lei 8.629/1993, para dispor sobre a fixac?a?o e o ajuste dos para?metros, i?ndices e indicadores de produtividade (PLS 107/2011 - Senado);
31. Regulamentação da compra de terra por estrangeiros (PL 4059/2012 – Câmara e PL 2269/2007 - Câmara);
32. Alteração da Lei de Biossegurança para liberar os produtores de alimentos de informar ao consumidor sobre a presença de componentes transgênicos quando esta se der em porcentagem inferior a 1% da composição total do produto alimentício (PLC 34/2015 – Senado).
33. Dispensa do servidor público por insuficiência de desempenho (PLP 248/1998 - Câmara);
34. Instituição de limite de despesa com pessoal (PLP 1/2007 - Câmara);
35. Criação do Estatuto das Fundações Estatais (PLP 92/2007 - Câmara);
36. Regulamentação e retirada do direito de greve dos servidores (PLS 710/2011 – Senado; PLS 327/2014 – Senado; e PL 4497/2001 - Câmara); e
37. Extinção do abono de permanência para o servidor público (PEC 139/2015 – Câmara);
38. Fim da exclusividade da Petrobras na exploração do pré-sal (PL 6726/2013 - Câmara);
39. Estabelecimento de que a exploração do pré-sal seja feita sob o regime de concessão (PL 6726/2013);
40. Estabelecimento de independência do Banco Central (PEC 43/2015 - Senado);
41. Privatização de todas as empresas públicas (PLS 555/2015 - Senado);
42. Proibição de indicar dirigente sindical para conselheiros dos fundos de pensão públicos (PLS 388/2015 – Senado);
43. Estabelecimento do Código de Mineração (PL 37/2011 – Câmara);
44. Demarcação de terras indígenas (PEC 215/2000);
45. Cancelamento da política de Participação Social (PDS 147/2014 – Senado);
46. Alteração do Código Penal sobre a questão do aborto, criminalizando ainda mais as mulheres e profissionais de saúde (PL 5069/2013 - Câmara);
47. Retirada do texto das políticas públicas do termo "gênero" e instituição do Tratado de San José como balizador das políticas públicas para as mulheres. É um total retrocesso para todo ciclo das políticas (MPV 696/2015 - Senado);
48. Instituição do Estatuto do Nascituro - provavelmente maior ameaça aos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres. Seria concretizada a criminalização generalizada das mulheres, inviabilizando, inclusive, o aborto previsto no Código Penal (PL 478/2007 - Câmara);
49. Instituição do Estatuto da Família - retrocesso para grupos LGTBs e mulheres: não reconhecimento como família - ficam fora do alcance de políticas do Estado (PL 6583/2013 – Câmara);
50. Redução da maioridade penal (PEC 115/2015 - Senado);
51. Instituição do Estatuto do desarmamento (PL 3722/2012 – Câmara);
52. Estabelecimento de normas gerais para a contratação de parceria público-privada para a construção e administração de estabelecimentos penais (PLS 513/2011 –Senado);
53. Aumento do tempo de internação de adolescentes no sistema socioeducativo (PLS 2517/2015 - Senado);
54. Atribuição à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania do exame do mérito das Propostas de Emenda à Constituição (PEC), acabando com as comissões especiais (PRC 191/2009 - Câmara); e
55. Alteração da Constituição para que entidades de cunho religioso possam propor Ações de Constitucionalidade perante o STF (PEC 99/2001 – Câmara).

domingo, 1 de novembro de 2015

SARAU DA CONSCIÊNCIA NEGRA DOS(AS)TRABALHADORES(AS)

CUT São Paulo abre inscrições do Sarau da Consciência Negra


A CUT São Paulo realizará o Sarau da Consciência Negra no próximo dia 13 de novembro (sexta-feira), a partir das 19h, na sede da entidade, à Rua Caetano Pinto nº 575, bairro do Brás, centro paulistano.
A participação é aberta ao público, mas para se apresentar é necessário ter a partir de 18 anos e enviar a ficha de inscrição previamente, até dia 8/11. O evento abrirá a programação de atividades da Central para o Mês da Consciência Negra.
O trabalhador (a) inscrito poderá apresentar esquetes teatrais (de até 15 minutos), poesias (até três obras) e dança ou música (de até 10 minutos), sendo que as intervenções musicais serão acústicas. A performance a ser apresentada, individualmente ou em grupo, é livre, podendo ou não estar ligada à temática do Mês da Consciência Negra.
O objetivo da iniciativa é trazer as várias experiências de cultura dos sindicatos e a produção cultural dos trabalhadores (as) para dentro da CUT São Paulo, explica Douglas Izzo, presidente da entidade. A ação também marca a retomada das atividades do Coletivo de Cultura da CUT/SP e a proposta, a partir de 2016, é realizar saraus também nas 18 subsedes cutistas em todas as regiões do estado, além da capital paulista.
“A realização do sarau e o fomento à cultura no interior da Central aproximam ainda mais a CUT dos trabalhadores, dos movimentos populares de cultura e faz um diálogo com a base por meio de suas produções culturais”, destaca o dirigente. 
História – Originalmente, o sarau era uma festa noturna regada a vinho, com leitura de poesias e apresentações de música e dança, realizado em residências, teatros ou outros estabelecimentos. A origem da palavra vem do galego serao (anoitecer) e do catalão (sarau).
Em Portugal, já em 1537 havia registros da realização do “baile nocturno”, mas o evento ocorria nas cortes e nas casas da nobreza dos vários países europeus, sobretudo na França.
No Brasil, o sarau chegou no século XIX, primeiramente ao Rio de Janeiro, com a vinda da Família Real, em 1808. Em São Paulo, os saraus chegaram depois, no século XX, promovidos pelos fazendeiros de café.
Atualmente, os saraus se tornaram encontros reunindo várias manifestações culturais e articulando artistas de origens diversas para compartilhar suas produções. Hoje, para além de um evento, os saraus se tornaram uma forma de mobilização, dando voz principalmente às expressões que vêm das comunidades nas periferias da capital paulista.
Serviço
Sarau da Consciência Negra da CUT São Paulo

Inscrições: até 8/11 (acesse a ficha de inscrição clicando aqui)
Sarau: 13/11, às 19h, na sede da CUT São Paulo
Rua Caetano Pinto nº 575 – Brás – São Paulo – SP
Informações: (11) 3330-2065 
Confira a página do evento
Fonte: site da CUT/SP > http://www.cutsp.org.br/